O Empresário

 

Os alicerces morais de Norberto Odebrecht para o empresariamento foram moldados ainda quando jovem: da mãe, Hertha, herdou a disciplina. Do pai, Emílio, e de mestres de obras, a educação pelo trabalho. Das caminhadas ao lado do pastor luterano Otto Arnold, a certeza de que servir é mais valoroso do que ser servido.

 

Foi em uma Salvador dos anos 1940, marcada por carências de todo tipo no setor de infraestrutura, que desponta a trajetória empresarial de Norberto Odebrecht. Seu primeiro desafio foi assumir os negócios do pai,  quando ainda era estudante de engenharia na Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia. Fez uma sociedade com dois jovens estudantes da sua universidade, Francisco Valladares e Otto Schaeppi, e saldou as dívidas acumuladas pelo pai ao criar um pacto político com banqueiros, que renegociaram os débitos. Também estabeleceu um pacto econômico com os Clientes, a quem prometeu produtividade e menores prazos, e um pacto social, com os mestres de obras. Eles eram responsáveis pelas obras que lideravam, suas “pequenas empresas”, e em troca recebiam parte dos lucros. Assim não apenas nasceu a Norberto Odebrecht Construtora Ltda, mas também a figura de um empresário.

Pedagogia da Presença

Documentário revela a filosofia de trabalho que o empresário Norberto Odebrecht implementa no canteiro de obra desde 1944, contada por profissionais que começaram a trabalhar com Norberto ainda jovens.

Uma a uma, novas obras floresciam na Bahia após os pactos. O Fórum Rui Barbosa, o Hotel da Bahia, o Círculo Operário, o Estaleiro Fluvial da Ilha do Fogo, entre Juazeiro e Petrolina, são alguns exemplos. Mas não eram obras como todas as outras à época. Norberto Odebrecht inovava frente ao que era tido como regra para a construção civil à época, onde levantava-se toda a estrutura de concreto e só se começava a fazer as paredes quando a última laje estava pronta. Na sua empresa, todo o trabalho era feito de uma só vez: quando a primeira laje estava pronta e os trabalhadores partiam para a segunda, as paredes daquele mesmo pavimento iam sendo erguidas. Assim, cumpria com eficiência os prazos, diminuía custos e ganhava em qualidade. Tudo para atender e respeitar a vontade daquele que mais importava em todo o processo: o cliente.

 

Pela visão inovadora, no fim dos anos 60, os negócios da construtora alçaram voos para além do Nordeste, a exemplo da construção do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (Galeão), e no exterior, com a criação de negócios no Peru, Chile, Angola, Equador, Argentina e Portugal. Visionário, Norberto Odebrecht despontou como um empresário à frente do seu tempo. Ao dedicar tempo e experiência aos seus integrantes e descentralizar as tomadas de decisões, formou não só parceiros, mas pessoas preparadas para servir – e empresariar.

Três Pactos

Empresário explica como saldou as dívidas do pai, nos anos 1940, e solidificou os conceitos de descentralização, delegação planejada, parceria e partilha de resultados.

Envie sua mensagem

fundacao@odebrecht.com