1925

 

Junto com a família, muda-se para Salvador (BA), cidade identificada pelo patriarca e pioneiro no uso do concreto armado no Nordeste do Brasil, Emílio Odebrecht, como um lugar que demandava obras de infraestrutura.

1932

 

Aos 12 anos, quando passa a frequentar o colegial no então Gymnasio Ypiranga, em Salvador, Norberto aprende a língua portuguesa.

1935

 

Ao mudar-se para uma casa, na Ladeira dos Aflitos, que abrigava as dependências de apoio da empresa Emílio Odebrecht & Cia., Norberto inicia no mundo do trabalho ao lado do pai e de mestres-de-obras, considerados também como professores por ele.

1941

 

Ainda como estudante de engenharia, assume o negócio do pai, que passava por dificuldades financeiras e instabilidades decorrentes do cenário da Segunda Guerra Mundial.

1953

 

A Construtora Norberto Odebrecht ergue o oleoduto Catu-Candeias, na Bahia, para o transporte do óleo extraído no novo campo de Catu da Refinaria de Mataripe.

1968

 

Das suas reflexões surge o livro “De que Necessitamos?”, primeira obra da Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO), sistematizada anos depois. Na pequena publicação, reitera as qualidades do modelo de gestão descentralizado e da delegação planejada.

1979

 

Norberto lança-se em mais um desafio: a internacionalização de sua empresa. Essa nova fase começa com a contratação das obras da hidrelétrica Charcani V, no Peru, e as do desvio do Rio Maule, para o projeto Colbún-Machicura, no Chile. Neste mesmo ano, é iniciado o processo de diversificação de negócios, com a criação da Odebrecht Perfurações (OPL).

1985

 

Norberto é sucedido por seu filho, Emílio Alves Odebrecht, na presidência da Construtora Norberto Odebrecht. Ele segue concentrando seu trabalho como executivo principal da holding Odebrecht S.A.

1991

 

Em maio, se dirige à Assembleia Geral de Acionistas despedindo-se do cargo de Diretor-Presidente da Odebrecht S.A.. Ele é substituído, mais uma vez, por seu filho Emílio Odebrecht.

2003

 

À frente da Fundação Odebrecht, Norberto age sobre a causa dos problemas sociais e econômicos, definindo como foco da instituição a promoção do desenvolvimento territorial sustentável. Cria o Programa de Desenvolvimento e Crescimento Integrado com Sustentabilidade (PDCIS), na época chamado de DIS Baixo Sul, cuja atuação é centrada na região do Baixo Sul da Bahia.

2011

 

Norberto recebe o Bastão de Comando de Oficial-General das mãos do General de Exército João Francisco Ferreira, então Comandante da 6ª Região Militar.

1920

 

No dia 9 de outubro, nasce Norberto Odebrecht na cidade de Recife (PE). É filho de Emílio e Hertha Odebrecht, naturais de Santa Catarina e com ascendência alemã.

 

1926

 

O pastor luterano Otto Arnold torna-se preceptor do lar da família e passa a ter participação ativa na educação de Norberto Odebrecht, com então seis anos de idade.

 

1938

 

Ingressa no curso de Engenharia Civil, na Escola Politécnica da Universidade Federal da Bahia, seguindo uma trajetória familiar de três gerações. Sua graduação acontece no ano de 1943.

1944

 

Em agosto, funda a Construtora Norberto Odebrecht. Cria sociedade com jovens estudantes da Escola Politécnica da Bahia e com seus mestres de obras. Ao estabelecer pactos políticos, econômicos e sociais, salda as dívidas do pai e gera um modelo de distribuição de tarefas e lucros dentro da empresa.

1940

 

Norberto é apresentado à Irmã Dulce pelo Frei Hildebrando. Carinhosamente chamada por ele de “minha mestra, minha mãe profissional”, Dulce tornou-se conselheira e amiga do empresário.

1965

 

Norberto cria a Fundação Odebrecht, chamada, na época, Fundação Emílio Odebrecht, em homenagem ao pai. Seu objetivo era o de prover os integrantes da Construtora Norberto Odebrecht (CNO) dos benefícios que a Previdência Social, na época, não abrangia.

1969

 

Conduz os negócios da Construtora para além do Nordeste, chegando à região Sudeste e tendo como símbolo a construção do edifício-sede da Petrobras, concluído no começo de 1971.

1983

 

Toma forma “Sobreviver, Crescer e Perpetuar”, terceiro livro publicado pelo empresário. Nele, Norberto sistematiza pela primeira vez os princípios, conceitos e critérios que constituem os fundamentos da cultura da Odebrecht, dando vida à Tecnologia Empresarial Odebrecht (TEO).

1988

 

Sob liderança do empresário, a Fundação Odebrecht muda seu foco de atuação e passa a se concentrar na educação do adolescente para a vida.

1998

 

Exatos sete anos depois, Norberto Odebrecht transmite a Emílio a presidência do Conselho de Administração da Odebrecht S.A. e deixa definitivamente os negócios, após 60 anos de trabalho e mais de 50 anos na liderança do Grupo. O engenheiro permanece como presidente do Conselho Curador da Fundação Odebrecht e presidente de Honra da Odebrecht S.A.

2008

 

A Fundação Odebrecht conquista o 2º Prêmio ODM Brasil, concedido a projetos que contribuem com resultados efetivos para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

2014

 

No dia 19 de julho, Norberto Odebrecht falece, em Salvador, tendo alcançado não apenas o crescimento dos negócios que liderou, como também o desenvolvimento social e econômico de centenas de comunidades e famílias.

"A meu ver, todo Empresário - além do espírito de servir - tem garra, determinação e disposição para viver intensamente a vida”.

 

 

Sobreviver, Crescer e Perpetuar, 8º edição, vol.1

Envie sua mensagem

fundacao@odebrecht.com